quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Boas Festas




A todos os amigos e a todos que aqui venham desejo Boas Festas.

Junto um texto de Miguel Torga escrito em S. Martinho de Anta a 24 de Dezembro de 1960 que, apesar de antigo, é ainda tão actual.



Natal. Já tudo dorme, e só eu, na casa, rumino ainda as rabanadas. Que significam elas afinal? O mundo estará realmente povoado neste momento por uma nova esperança? Não se ouviram passos auspiciosos ao dar da meia-noite, nem houve. com certeza, parto divino em nenhuma maternidade ou estábulo.  Mas sabe-se  que os grandes enviados chegam sem ruído, que o nascimento de que se trata é doutra natureza, que a luz esperada tem de acender-se dentro de nós. Por isso, quando digo mundo penso nos meus próprios limites, e neles procuro descortinar os sinais concretos da maravilhosa presença. Timidamente, aflora-me aos lábios uma palavra, que só de ser balbuciada aviva a chama da lareira. Amor - repito, alvoraçado. Mas não vou mais longe. Desalentadoramente, a boca, como um sino sem alma, deixa de vibrar. É que, por artes de não sei que espírito invisível e demoníaco, começa a desfolhar-se diante dos meus olhos um calendário de dois mil anos. E, nele, a palavra mágica, que impulsivamente me saiu da alma, escrita em vão duas mil vezes...

6 comentários:

jrd disse...

Boas Festas Helena.
Grande Abraço

heretico disse...

os melhores votos de BOM ANO

beijo

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor

Bj

Batista Filho disse...

Que a esperança não sucumba, face ao desalento. Um abraço fraterno e saudoso.

Era uma vez um Girassol disse...

Helena, agradeço e retribuo os votos de um Feliz 2016!
Beijinho

jorge vicente disse...

Que o teu 2015 tenha sido excelente, Helena.

Grande abraço
Jorge Vicente